Notícias

A conveniência dos snacks

Produtos lácteos e embalagens práticas são as tendências da vez

Não é de hoje que o estilo de vida mais agitado da população, frequentemente solitário e com longas jornadas de trabalho, influencia os hábitos alimentares. E a pesquisa “How We Eat: The Changing Face of Global Mealtimes”, realizada pela Euromonitor International em 2016, confirma que as pessoas estão buscando maneiras de deixar a vida mais prática, através de produtos fáceis de preparar, levar e comer. Seguindo essa tendência, cresce a popularidade dos snacks – categoria que inclui produtos como barras de cereais e iogurtes – que aos poucos passam a substituir as tradicionais três refeições diárias.

Os snacks são uma tendência na América Latina como um todo, mas no Brasil eles ganham ainda mais força. No país, as categorias de snacks salgados (como as batatas chips, pipocas e trail mix) e doces (como as barrinhas de cereais, chocolates e cookies) cresceram em torno de 9% em valor de venda em 2016 (preços nominais, em Real). A pesquisa da Euromonitor indica que a tendência do ‘snackfication’ é ainda mais presente para os logo no ínicio do dia, sendo uma alternativa para o café da manhã. Essa mudança do consumidor levou à introdução de diversos novos produtos nos últimos anos, como o Activia Café da Manhã, da Danone, que trás em uma única porção o iorgute, frutas e a aveia instântanea; os biscoitos BelVita, que substituem os cereais matinais; as frutas já cortadas e embaladas, da Fugini; entre muitos outros.

Crescimento dos produtos lácteos como snacks

Uma movimentação interessante é na inclusão dos lácteos, principalmente os iogurtes, como o novo snack saudável. As receitas tradicionais dos iogurtes sofreram alterações e estão sendo redescobertos pelos consumidores, principalmente entre o público feminino. O sucesso do iorgute grego chamou atenção devido ao alto valor proteíco e ampla variedade de sabores. Os queijos processados também sofreram alterações e passaram a se posicionar como uma alternativa saudável para snacks para crianças e jovens. Embora tenham sido o produto lácteo mais difícil de se colocar como um snack moderno, há vários exemplos de sucesso, como o queijo cremoso da Pik & Croq que são embalados junto com palitos de pão crocantes, tornando o consumo muito prático.
Embalagens são chave para funcionalidade

E não foram só os ingredientes que sofreram alterações devido ao aumento do consumo dos snacks. Buscando cada vez mais produtos que atendam as necessidades de uma vida corrida, consumidores deram preferência às embalagens práticas, como as que possibilitam consumo on-the-go e que possam ser aquecidas no microondas. No Brasil, entre 2010 e 2015, vimos o crescimento surpreendente de vendas, em volume, dos produtos em pouches de plástico (111%) e ready meal trays (74%) e também daqueles com fechos de ziper (128%) e rosca (69%).

O futuro dos snacks

O futuro dos snacks é promissor. Embora dados da Euromonitor International apontem uma desaceleração do crescimento da categoria, impactado pelas incertezas econômicas e das tendências de saudabilidade, espera-se que os snacks salgados e doces cresçam a uma taxa média ao ano de 2,5% e 2%, respectivamente, até 2020. Apesar do desenvolvimento mais lento, a categoria apresenta produtos com grande potencial, como os chips vegetais, que devem crescer a uma taxa média anual supreendente de 33,5%, em valor de vendas, até 2020.

 

Saiba mais em: Euromonitor International

informa exhibition 01 branco

  

 

 

Filiada à     

 ubrafe branco

                             

                             

                             Contato

                             Política de Privacidade

                             Mapa do Site

                             Login Diretório

                             Credenciamento

          

            

 

                              

  

Newsletter

Eu aceito receber comunicações da promotora e de parceiros.
Sim, li e concordo com a política de privacidade