Notícias

Por que a cevada (e a cerveja) pode ser boa para sua saúde

cevada

 

 

São Paulo – A cervejinha do final de semana pode trazer bem mais benefícios para a saúde do que se imagina. Diversos estudos já demonstraram o potencial que a bebida tem, por exemplo, como antioxidante, combatendo radicais livres, elementos que estão por trás de doenças degenerativas e do envelhecimento precoce.

Boa parte desse poder da bebida vem da cevada, um de seus ingredientes principais. “A cerveja possui grande quantidade de antioxidantes, sendo que 70% deles são provenientes da cevada e 30% do lúpulo”, afirma Andrea Zaccaro, nutricionista e presidente da Associação Brasileira de Nutrição Esportiva.

Esse é apenas um dos motivos pelos quais a cevada passou a ser considerada um “supergrão”, como a quinoa, por exemplo. “Em relação à quinoa, a quantidade de fibras em uma porção cozida é maior na cevada. Em relação às vitaminas e minerais, a quantidade encontrada na cevada é bem superior também”, diz a especialista.

Andrea usa a expressão “nutricionalmente denso” para caracterizar esse alimento. Isso porque, além de ter um teor calórico baixo e quantidade de amido não muito alta, a cevada mescla carboidratos complexos, vitaminas do complexo B e de outros tipos, proteínas e minerais, como o manganês e o cobre.

“A alta ingestão desses nutrientes pode ajudar a promover o metabolismo mais eficiente e com maior imunidade”, afirma a nutricionista, que também informa que o manganês presente na composição do grão tem alto poder antioxidante, sendo muito útil contra infecções bacterianas e virais.

Outro fator positivo da cevada é sua quantidade de fibras, que supera todos os outros grãos. De acordo com a especialista, uma xícara do alimento cozido contém 6 gramas de fibras, o que, além de conferir saciedade e ajudar no emagrecimento, também atua no alívio da síndrome do intestino irritável e constipação, e na prevenção do câncer de cólon.

Por falar em fibra, ela é rica em beta glucana, uma fibra solúvel que ajuda a combater o envelhecimento precoce, a reduzir os níveis de colesterol no sangue e prevenir doenças cardíacas, como a hipertensão.

A cevada não precisa ser consumida somente na forma de cerveja. Para aproveitar ao máximo seus nutrientes, há duas maneiras de ingerir o grão: germinado (após ficar de molho em água) ou cozido, como se fosse arroz.

Andrea indica a ingestão de duas porções ao dia, para absorver uma quantidade ideal de fibras. “Duas xícaras ao dia de cevada são capazes de suprir 50% das necessidades diárias, que podem ser completadas com as verduras, legumes, frutas e outros alimentos integrais que compõe uma dieta equilibrada”, indica.

 

 

Fonte: Exame

                             

                             

                             Contato

                             Política de Privacidade

                             Mapa do Site

                             Login Diretório

                             Credenciamento

          

            

 

                              

  

Newsletter

Eu aceito receber comunicações da promotora e de parceiros.
Sim, li e concordo com a política de privacidade