Notícias

Segurança na cadeia de Alimentos_alimentos online

Segurança na cadeia de Alimentos

Um desafio constante, norteado pela nova ISO 22 000 2018.

Migração em três anos. Este é o prazo para as empresas certificadas se adequarem aos requisitos da nova versão da ISO 22.000:2018, publicada em 19/06/2018, pela Organização Internacional de Padronização – ISO (InternationalOrganization for Standardization), que cancela e substitui a primeira versão ISO 22000:2005. A segunda edição ou nova versão foi tecnicamente revisada, embora com atraso, pois as normas da série ISO são analisadas a cada cinco anos, a fim de estabelecer, que as revisões atendam os novos desafios em segurança de alimentos, se mantendo relevante no processo de ações necessárias de acordo com a mudança das relações na cadeia de produção.

É certo que temos conhecimento e entendemos a importância da aplicabilidade de legislações como parâmetro prioritário a segurança da produção e consumo de produtos alimentares. Porém reiteramos que a ação de aplicar as normativas, por vezes, seja pelo prazo de migração ou mesmo por exiguidade profissional e econômica das organizações, não atendem rigorosamente o que é exigido, ou seja, a relação dos elos, normas, qualidade e segurança ainda têm um longo e contínuo caminho e a nova versão da ISO 22000 2018, vem nortear, facilitar e assegurar diretrizes bases para as organizações que abrangem a cadeia de abastecimento alimentar direta ou indiretamente.

Ainda do prazo de três anos para a migração, tecnicamente analisado, este tempo permite que as organizações alcancem maior índice de implementação, na definição das metas que sustentam os princípios da segurança alimentar, identificando as necessidades de comunicação, desenvolvimento, operação ou avaliação do Sistema de Gestão da Segurança Alimentar, e até mesmo a integração de outros sistemas com a mesma finalidade, produzir a segurança do alimento.

A ISO 22000: 2018 – Sistema de Gestão de Segurança de Alimentos contribui ainda mais para garantir a segurança em toda a cadeia alimentar, da produção primária até o consumo final, a mesa. Independentemente de porte econômico ou setor a ISO é destinada a todas as organizações na indústria de alimentos e rações.  É a garantidora de harmonizar desafios advindos da globalização e internacionalização das empresas, é requisito para qualquer organização na cadeia de alimentos.

Padronização e gestão de riscos

A nova versão da ISO 22000, seguindo as orientações diretivas dos 10 elementos do anexo SL da ISO, apresenta-se agora, com a mesma estrutura que todas as outras normas do sistema de gestão ISO a High LevelStructure (HLS), ou Estrutura de Alto Nível. A padronização através de estrutura de alto nível torna mais fácil a integração a outros sistemas de gerenciamento, mantendo consistência, alinhamento, texto e linguagem comum a todos. O uso da estrutura de alto nível facilita o bom desempenho e eficiência das organizações e auditores frente à gestão de segurança alimentar no mundo, e ainda a integração da Segurança de Alimentos com a Qualidade, Meio Ambiente, Saúde e Segurança do Trabalho.

A norma traz uma nova abordagem na gestão de riscos da segurança alimentar, baseada no Codex HACCP. Com a diferenciação das perdas derivadas de processos inadequados - risco no nível operacional e no nível de negócios – perdas nas ações estratégicas do sistema de gestão, a nova descrição é um facilitador na identificação dos pontos de desvio dos resultados planejados e controle das ações, podendo minimizar ou anular efeitos extrínsecos ao plano de gestão de segurança de alimentos. Vem clarear as diferenças entre os conceitos chaves como PCC (Pontos Críticos de Controle), PPRO (programa de Pré-requisitos Operacionais) e PPR (Programa de Pré Requisitos).

 

Implementação e auditoria

Quanto ao ciclo PCDA (Plan-Do-Check-Act), a norma abrange os dois ciclos claros e distintos: o Sistema de Gestão Segurança de Alimentos como um todo e os Princípios do APPCC. Distintos no padrão, porém atuando em conjunto, fazem do ciclo PCDA uma ferramenta vital para que as organizações implementem suas ações e melhorias.

Com uma abordagem linear de implementação (possível com a simplificação de sua estrutura de cláusulas) a nova versão da norma ISO 22000:2018 assegura que as organizações poderão alcançar conformidade desenvolvendo, seguindo e aplicando um conjunto específico de informações documentadas, ou seja, assegurar que esteja adequadamente protegida e não mais ter um procedimento documentado, com isso simplificando seu processo de auditoria e garantindo que seus recursos e gerenciamento sejam adequados, atendendo os requisitos do mercado.

O gatilho do tempo de migração já foi disparado, portanto recomendamos que as organizações iniciem as ações conhecendo o conteúdo e os requisitos da ISO 22000: 2018. Caso seja um usuário atual da ISO 22000: 2005 deverá focar em mudanças, identificando as lacunas que precisam ser abordadas para atender os novos requisitos e estabeleça um plano de implementação. Implemente as ações atualizando seu sistema de gerenciamento através de auditorias internas, o que definirá ações adicionais e necessárias para garantir a cadeia de segurança alimentar.

Equipe Alimentos Online.

informa exhibition 01 branco

  

 

 

Filiada à     

 ubrafe branco

                             

                             

                             Contato

                             Política de Privacidade

                             Mapa do Site

                             Login Diretório

                             Credenciamento

          

            

 

                              

  

Newsletter

Eu aceito receber comunicações da promotora e de parceiros.
Sim, li e concordo com a política de privacidade