Notícias

Controles na produção de alimentos

Controles na produção de alimentos

A produção de alimentos é um tema complexo por abranger variadas ações com atributos os mais diversos, compreendendo aspectos relacionados às tecnologias empregadas, produtividade, valor nutricional, qualidade, segurança, sustentabilidade, comércio justo (fairtrade), bem-estar animal, entre tantos outros, abordados sob diferentes ângulos e pontos de vista.

Cada um desses conceitos estende-se a outros tantos que fazem da produção de alimentos uma atividade cada vez mais profusa e, justamente por englobar práticas as mais diversas, requer a regulamentação de todas elas, a fim de garantir aos consumidores alimentos nutritivos, de qualidade e seguros e assegurar à sociedade práticas justas e ambientalmente corretas, as quais não venham a comprometer a própria produção de alimentos no futuro.

Em toda produção de alimentos são necessários registros e autorizações para o início da produção e ainda há todo o controle e fiscalização da produção, bem como do produto. Os órgãos do governo responsáveis por todo esse processo, desde o registro até a fiscalização, têm tido dificuldades para atender a toda a demanda, já que, considerando-se, por exemplo, produtos de origem animal, cada produto necessita de um registro e, portanto, de todo um processo para sua aprovação antes mesmo do início da produção.

Cada vez mais são necessárias ações que facilitem a produção de alimentos, sem prescindir da segurança. A legislação, por si só, não se traduz em ação se não houver um sistema que fiscalize o estabelecido nas leis, normas e regulamentos. No Brasil, entretanto, a fiscalização tem se mostrado muito vulnerável, fato constatado em diversas situações, tais como na recente operação “Carne fraca”, quando foi possível constatar a importância de uma fiscalização efetiva na produção e comercialização de alimentos e sua consequência nas exportações e economia do País. 

Visando avaliar as condições higienicossanitárias dos produtos alimentícios comercializados no País, pesquisadores têm avaliado microbiologicamente diversos produtos e os resultados de muitas dessas pesquisas estão publicados na última edição da Revista Higiene Alimentar. Esta também traz o artigo “Determinação do teor de água, em carcaças de três diferentes marcas de frangos”, que trata de um dos problemas levantados na operação “Carne fraca” e representa fraude econômica ao consumidor. 

O uso abusivo de aditivos, outro problema relatado na mesma operação, depõe contra a industrialização de alimentos, na qual são permitidos aditivos, respeitando-se a natureza do produto, bem como limites máximos que seguem as recomendações internacionais, a fim de possibilitar a harmonização e facilitar o comércio internacional. O número 264/265 da Revista Higiene Alimentar publicou dois artigos nessa temática: “Resíduos de antimicrobianos em salmão do atlântico” e “Determinação do potencial antibacteriano de especiarias” buscando novas alternativas em substituição aos aditivos.

O sistema sanitário brasileiro estabelece as regras para produção de alimentos seguros e as autoridades sanitárias vem promovendo ações visando aumentar a eficiência do processo, no entanto, é necessário ainda reduzir sua complexidade, padronizando procedimentos e reduzindo sistemas que, fundamentalmente, tem por único objetivo a saúde da população. 

 Matéria exclusiva dispobilizada por Revista Higiene Alimentar

informa exhibition 01 branco

  

 

 

Filiada à     

 ubrafe branco

                             

                             

                             Contato

                             Política de Privacidade

                             Mapa do Site

                             Login Diretório

                             Credenciamento

          

            

 

                              

  

Newsletter

Eu aceito receber comunicações da promotora e de parceiros.
Sim, li e concordo com a política de privacidade