Notícias

Benefícios do uso dos Probióticos

Benefícios do uso dos Probióticos

Atualmente observa-se um aumento expressivo de doenças autoimunes, alérgicas e inflamatórias crônicas, diferentemente do apresentado há décadas atrás, nas quais predominavam as doenças infecciosas.

Este cenário parece estar relacionado à mudanças de hábitos de vida da sociedade, como, por exemplo a redução do contato das crianças com microrganismos, oriundo tanto das melhorias das condições de higiene e vacinação, como também das mudanças na alimentação. Estes fatores em conjunto determinam alterações na microbiota intestinal. Assim, o conhecimento sobre a importância da microbiota na saúde dos indivíduos estimulou a busca por tratamentos e prevenção de doenças baseadas na sua restauração.

O uso de bactérias para benefícios à saúde e vida da população vem sendo experimentado há muito tempo. 

Do ponto de vista histórico, leites fermentados são utilizados pela humanidade há mais de 10.000 anos.

Com relação aos benefícios à saúde humana, podem ser destacadas as observações de Elie Metchnikoff (cientista russo) há um século atrás. Ele sugeriu que alterações na microbiota intestinal por meio de uso de micróbios úteis para substituir aqueles pretolíticos , como clostridium, poderiam suprimir o envelhecimento e a “ auto -intoxicação intestinal”. Assim, postulou que as bactérias ácido-lácticas ofereciam benefícios à saúde que levavam à longevidade.

O termo “ probiótico” foi utilizado pela primeira vez por Lilly e Stillwell em 1965, sendo definido como aquele fator de origem microbiológica que estimula o crescimento de outros organismos.

Diversos outros conceitos de probióticos foram publicados nos últimos anos. Entretanto, a definição intenacionalmente aceita nos dias atuais é a descrita pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e Organização Mundial da Saúde (OMS), sendo “microorganismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, conferem benefícios à saúde do hospedeiro.”

As espécies mais comumente utilizadas como probióticos são Lactobacillus e Bifidobactérias, sendo o seu uso considerados seguros e adequados para o consumo humano por conta da longa história da sua aplicação em alimentos e por estarem habitualmente presentes no trato gastrointestinal humano. 

Os benefícios à saúde com a administração de probióticos são extremante amplos, mantendo-se em franca expansão, decorrentes de ampliação do conhecimento e do desenvolvimento contínuo de estudos científicos. 

Assim, eles podem ter funcionalidade microbiológica, ou seja, ser utilizados para melhorar ou restaurar a homeostase microbiana, por meio de diversos processos, como: exclusão competitiva, por meio de competição por nutrientes, área de adesão à mucosa ou receptores com bactérias patogênicas, ou por produção de substâncias bacteriostáticas ou bactericidas, como bacteriocionas. Além disto, pode ter funcionalidade nutricional, por meio, por exemplo, da produção ou contribuição para a liberação de vitaminas, como: vitamina K, vitamina B12, biotina entre outros.

Outra funcionalidade é a fisiológica, como podemos citar a melhora do trânsito intestinal, com redução da distensão e da dor abdominal, assim como redução dos níveis de colesterol.

Os probióticos também apresentam benefícios na parte imunológica, podendo estar relacionados à ativação de macrófagos locais, modulação da produção IgA local e sistêmica, com objetivo de levar à alterações nos perfis de citocinas pró-inflamatórios e inflamatórias.

Assim, é possível observar evidências científicas da ampla aplicação clínica de vários probióticos em: diarreia infecciosa aguda ou associada ao uso de antibióticos ou Clostridium difficile, Síndrome do Intestino Irritável, doenças inflamatórias intestinais, obesidade, hipercolesterolemia, alergias, dermatite atópica, autismo, depressão, Doença de Alzheimer, entre outras.

É importante ressaltar que a eficácia dos probióticos está relacionada a origem de suas cepas, assim como a dose diária administrada. 

Os prebióticos, assim como os probióticos, estão sendo muito estudados também quanto aos seus benefícios à saúde do hospedeiro, por estimularem seletivamente a proliferação ou atividades de bactérias benéficas na microbiota, além de inibir a multiplicação de microorganismos patogênicos.

É possível observar ainda evidentes benefícios com uso associado de probióticos e prebióticos, conhecidos como simbióticos. Eles apresentam diversos efeitos comprovados na literatura, auxiliando na restauração e manutenção do equilíbrio da microbiota intestinal e modificando a sua composição. Assim, o seu uso diminui a incidência de infecções, promove aumento de número de bactérias benéficas, como bifidobactérias, auxilia no controle glicêmico, reduz a taxa de colesterol sanguíneo, auxilia na melhora da constipação e/ou diarreia, estimula o sistema imunológico, entre outros. Essa ação sinérgica, faz com que o simbiótico exerça tanto um efeito prebiótico, quanto probiótico, determinando reconhecidos benefícios em diversas situações clínicas, tais com as anteriormente mencionadas.

Assim, é possível concluir que os probióticos, assim como prebióticos e simbióticos vêm sendo amplamente utilizados para promoção à saúde dos inidivíduos, demonstrando alta eficácia e perfil de segurança, entretanto, ainda é necessário entender os benefícios específicos de cada cepa em diferentes desordens clínicas.

 

Referências:

  • Waitzberg D et al. Microbiota benefits after inulin and partially hydrolized guar gum supplementation: a randomized clinical trial in constipated women. Nutr Hosp. 2012 Jan-Feb;27(1):123-9.
  • WHO. Guarner ,F. Probióticos e Prebióticos, 2011
  • OUWEHAND, Arthur C. et al. Probiotics reduce symptoms of antibiotic use in a hospital setting: a randomized dose response study. Vaccine, v. 32, n. 4, p. 458-463, 2014.
  • Flesch ,A.G.T ; POZIOMYCK , A.K; DAMIN, D.C. O USO TERAPÊUTICO DOS SIMBIÓTICOS. ABCD Arq Bras Cir Dig. 2014;27(3):206-209
  • Vyas U, Ranganathan N. Probiotics, Prebiotics, and Synbiotics: Gut and Beyond. Gastroenterology Research and Practice, 2012;ID872716;16.
  • Ciorba MA. A Gastroenterologist’s Guide to Probiotics. Clin Gastroenterol Hepatol. 2012; 10(9): 960–968.
  • VANDENPLAS, Yvan; HUYS, Geert; DAUBE, Georges. Probiotics: an update. Jornal de Pediatria (Versão em Português), v. 91, n. 1, p. 6-21, 2015.
  • Morais MB, Jacob CM. The role of probiotics and prebiotics in pediatric practice. J Pediatr (Rio J). 2006;82 (5 Suppl):S189-97.

 

Matéria exclusiva dispobilizada por ABIFISA.

ubm white

  Conectando pessoas e o mercado global

 

UBM: uma das maiores empresas do mundo em mídia de negócios

Nos mais de 30 países onde realiza seus eventos, a UBM constrói relacionamentos duradouros com especialistas e players do mercado e gera oportunidades que alavancam e fomentam o desenvolvimento da indústria local em âmbito global. Ler Mais

 

Filiada à     

 ubrafe branco

Newsletter

Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
E-mail Inválido
Entrada Inválida
Inserir os letras Invalid Input